Defender algo, e não ir contra algo

Parecem as mesmas coisas, mas elas funcionam de formas totalmente diferentes.

Eu penso nestas relações de ir contra algo como relações onde alguém quer ganhar, mas derrubando outras opções. Não é uma relação construtiva, nem baseada em excelência.

Já em situações onde se defende algo, você se baseia em organizar uma estratégia de ganho para todo o sistema presente.

Também pode ser apenas uma questão de perspectiva? Pode, mas novamente sou eu aqui analisando situações da minha vida.

O TL;DR desse texto é: defenda coisas, ao invés de ir contra coisas. 🙂

Ir contra algo implica em você deixar de lado inclusive o que acredita em prol de algo que você também não consiga entender muito o sentido. A sua motivação por vezes está ancorada em outra pessoa. Nas vezes que operei no modelo de ir contra, me pegava em situações querendo fazer alguém perder, ao invés de fazer o que eu acreditava para ganhar. Vingativo? Eu leio hoje como imaturidade. E pior. Não era sustentável e nem tinha independência. Eu precisava de algo extra acontecendo para poder ir contra (existir).

E dá para funcionar diferente. Defendendo o que você acredita.

Só tem um problema.

Para defender algo, dá mais trabalho, e o processo é de mais longo prazo. Você precisa de base, argumentos construídos a partir de prática, observação e conforme o seu contexto, ciência.

O empirismo funciona no início, na experimentação e observação, mas quando você consegue demonstrar coisas dentro de um contexto, a aplicação de padrões e de estruturas já conhecidas (estudadas e validadas no passado) torna tudo mais real.

No meu mundo de pensamento sistêmico e teoria das filas, o empirismo apenas me ajuda a praticar e depois de um tempo encontrar padrões e algum princípio bem estabelecido que me demonstra como um determinado comportamento acontece.

Aí fica “fácil”.

Até pra quem curte “defender liberdade”, ganha um trabalho extra e necessário. Tem que entender limites, como a liberdade de outras pessoas e do seu grupo, trazer consciência de responsabilidade, e ter visão de todo. Defender uma coisa não é algo isolado, e precisa de critérios.

Essa é a beleza!

— Daniel Wildt

Acompanhe minha jornada de conteúdo, participando da comunidade e das entregas no projeto de crowdfunding “A filosofia da tranquilidade”, lá no apoia.se/dwildt.

Publicado por dwildt

Empreendedor / Desenvolvedor de Software / Mentor / Agilista / Escritor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: