Como se preocupar menos?

Na verdade não sei se existe um jeito único… e nem se existe um jeito certo para isso. A busca pela tranquilidade gera também essa busca por menos preocupações? Por aqui tem acontecido isso. Preocupações podem ser pequenas angústias, preocupações podem ser simplesmente coisas que precisamos fazer. Preocupação pode ser resultado de cuidado que temosContinue a ler “Como se preocupar menos?”

Sometimes, I don’t know what to do with my helper self

I do a lot of stuff daily. Most of the things I do are related to practice something, make something happen and help someone or a team. So, what exactly I don’t know about my “helper self”? In my case, it’s a decision about the vision about me, and people I would like to helpContinue a ler “Sometimes, I don’t know what to do with my helper self”

Agonia, angústia… a tal da ansiedade ruim.

Pelo filme divertidamente a gente aprende alguns sentimentos como felicidade, tristeza, nojo, medo, raiva… e ainda falam que dos básicos sentimentos temos a surpresa. Bom, hoje eu estudei sobre a angústia, que é diferente da ansiedade. Ansiedade me joga para pensar sobre algo que eu espero ou que ainda não aconteceu. O jogo da angústiaContinue a ler “Agonia, angústia… a tal da ansiedade ruim.”

Qual a origem da (minha) tranquilidade?

Na base, entender o que está no meu controle. Não estando no meu controle, posso atuar em questões para mitigar riscos. Fora isso, preciso deixar o assunto para quem tem chance de atuar no mesmo. Tranquilidade não é só um estado interno a ser criado. Fosse isso, poderia resolver essa parte com meditação, com técnicasContinue a ler “Qual a origem da (minha) tranquilidade?”

A principal mensagem?

É muito interessante que quando se pensa em cartas de vendas, falamos sobre ter bastante conteúdo, trazer benefícios, provas sociais. Dá para pensar em um checklist gigante com uma série de perguntas a serem respondidas. Agora, a primeira mensagem precisa ser algo que puxe atenção de quem está lendo ou passando pela sua “chamada”. ÉContinue a ler “A principal mensagem?”