Seja uma pessoa de mais “acabativa” do que de iniciativa! Será? E quem inicia? Quem cria?

Essa é uma frase clássica, de não ser uma “pessoa de muita iniciativa e pouca acabativa“. Que muitas pessoas iniciam coisas e não terminam. Que estas pessoas precisam atuar nestes “pontos fracos”! O que significa “acabativa” para os padrões corporativos (industriais e exploratórios) do trabalho no Brasil? Aqui começam os problemas. O primeiro de todos:Continue a ler “Seja uma pessoa de mais “acabativa” do que de iniciativa! Será? E quem inicia? Quem cria?”

Os dois minutos e a pessoa otimista… não subestime o tempo para iniciar e fechar uma tarefa de “dois minutos”.

No GTD (Getting Things Done) tem um lance do workflow sobre o que fazer quando uma tarefa aparece na sua frente e ela demora 2 minutos. Essa técnica é tida como uma bala de prata por muitos “gurus da produtividade“, em seus blog posts de topo de funil para converter galera nos seus serviços. ServeContinue a ler “Os dois minutos e a pessoa otimista… não subestime o tempo para iniciar e fechar uma tarefa de “dois minutos”.”

Tempo de silenciar?

Qual seria o momento de parar? De não fazer nada mais? Tipo só por um pouquinho?  Para algumas pessoas, a pressão social de escolhas de carreira, carro, casa e outras parece impedir um real encontro: com o nosso presente. Com o agora. Sempre estamos correndo por alguma coisa que “não temos“. Digo “não temos” poisContinue a ler “Tempo de silenciar?”

Você até pode ir no ritmo da vida, no ritmo que a vida levar, mas isso não quer dizer que você deva deixar a vida te levar.

Quem está tocando a música e quem está conduzindo a dança? 🙂 Tava ouvindo Wander e fiquei pensando sobre o ritmo da vida. Por vezes estamos correndo, por vezes ela fica chata, leve, pesada, chata, desafiadora, chata, feliz, chata. Chata. Tá, nem sempre. Muitas vezes a gente não controla o que acontece. Conseguimos muitas vezesContinue a ler “Você até pode ir no ritmo da vida, no ritmo que a vida levar, mas isso não quer dizer que você deva deixar a vida te levar.”

Organização de agenda, pensamento de produtividade e o improvável do dia a dia. Ou qual a probabilidade de um dia perfeito?

Bem improvável. Me conte sobre a sua agenda? Ou você tem uma lista de tarefas? Você tem o dia todo bloqueado? E como você faz para fazer o que aparece aí? Como você funciona quando precisa fazer nada? Como você faz para cuidar do improvável?