Eu tenho um padrão para criar projetos paralelos. Quer criar um? Olha como faço para preparar os meus.

E de nenhuma forma isso é algo parecido com uma bala de prata. É a forma como eu me organizo para criar um projeto paralelo. É resultado do entendimento que tenho dos padrões que reconheci ao longo dos anos de todos projetos que participei, todos projetos que coloquei energia.

Seja uma pessoa de mais “acabativa” do que de iniciativa! Será? E quem inicia? Quem cria?

Essa é uma frase clássica, de não ser uma “pessoa de muita iniciativa e pouca acabativa“. Que muitas pessoas iniciam coisas e não terminam. Que estas pessoas precisam atuar nestes “pontos fracos”! O que significa “acabativa” para os padrões corporativos (industriais e exploratórios) do trabalho no Brasil? Aqui começam os problemas. O primeiro de todos:Continue a ler “Seja uma pessoa de mais “acabativa” do que de iniciativa! Será? E quem inicia? Quem cria?”

Os dois minutos e a pessoa otimista… não subestime o tempo para iniciar e fechar uma tarefa de “dois minutos”.

No GTD (Getting Things Done) tem um lance do workflow sobre o que fazer quando uma tarefa aparece na sua frente e ela demora 2 minutos. Essa técnica é tida como uma bala de prata por muitos “gurus da produtividade“, em seus blog posts de topo de funil para converter galera nos seus serviços. ServeContinue a ler “Os dois minutos e a pessoa otimista… não subestime o tempo para iniciar e fechar uma tarefa de “dois minutos”.”

Tempo de silenciar?

Qual seria o momento de parar? De não fazer nada mais? Tipo só por um pouquinho?  Para algumas pessoas, a pressão social de escolhas de carreira, carro, casa e outras parece impedir um real encontro: com o nosso presente. Com o agora. Sempre estamos correndo por alguma coisa que “não temos“. Digo “não temos” poisContinue a ler “Tempo de silenciar?”

Você até pode ir no ritmo da vida, no ritmo que a vida levar, mas isso não quer dizer que você deva deixar a vida te levar.

Quem está tocando a música e quem está conduzindo a dança? 🙂 Tava ouvindo Wander e fiquei pensando sobre o ritmo da vida. Por vezes estamos correndo, por vezes ela fica chata, leve, pesada, chata, desafiadora, chata, feliz, chata. Chata. Tá, nem sempre. Muitas vezes a gente não controla o que acontece. Conseguimos muitas vezesContinue a ler “Você até pode ir no ritmo da vida, no ritmo que a vida levar, mas isso não quer dizer que você deva deixar a vida te levar.”