Simplicity confuses people 

I’ve reading Gary Vee about this today. The email was from Dec 20th 2021, but the simplicity message is close to me as far as 2003 when I read something about: Simplicity–the art of maximizing the amount of work not done–is essential. — The Agile Manifesto This was mind blowing as I was learning aboutContinue a ler “Simplicity confuses people “

Canvas do aprendizado emergente? A importância do coletivo e da colaboração.

Aprendizado emergente. Eu aprendo via Design Thinking, estratégias de pesquisa e outras dinâmicas ligadas com análise de negócios a ouvir mais e mais. E entender que o ouvir pode acontecer de conexões emergentes. Através do Learning Canvas temos uma estrutura de pensamento que pode ser útil para operar em um ambiente de incerteza ao mesmoContinue a ler “Canvas do aprendizado emergente? A importância do coletivo e da colaboração.”

Priorizando baseado em importância e satisfação

Dan Olsen fala sobre produtos, sobre priorizar o que temos que fazer. Fala em importância e satisfação, modelo que aparece em diversas estruturas, mas o modo como ele trouxe em uma leitura que estava fazendo me pareceu tão… “como se pode pensar diferente”? Eu gosto de pensar em estratégias de priorização e entender quando possoContinue a ler “Priorizando baseado em importância e satisfação”

Planejando a empresa… imersões ou movimentos contínuos?

Dá para falar sobre isso pensando em lotes. A vida que a gente vive gera aprendizados. A partir das práticas que temos, aprendemos. Refletimos. E? Se queremos seguir fazendo o que fazemos, podemos organizar estruturas que nos permitam refletir sobre a prática e projetar “mudanças”. Mudanças que tornem o nosso trabalho mais leve. Aqui pensoContinue a ler “Planejando a empresa… imersões ou movimentos contínuos?”