Cinco minutos para o silêncio, para respirar. Ou… eu preciso deixar meu eu jogar.

Treino é treino, jogo é jogo. Amistoso não é jogo. Agora, o modo treino e o modo jogo deveriam ser um só, mas por algum motivo meus sensos não detectam essa urgência nos esportes. Eu sei que o meu modo treino funciona muito bem. Presente, focado em acertar a próxima bola, em fazer o próximoContinue a ler “Cinco minutos para o silêncio, para respirar. Ou… eu preciso deixar meu eu jogar.”

ABCD de como destruir uma relação de equipe.

Tava vendo uma postagem sobre parcerias e equipes se separando e algumas palavras, ou pelo menos palavras parecidas me chamaram atenção. Os fins de projetos, de equipes e de relações por assim dizer são cheias de julgamentos e de pensamentos do que as outras pessoas poderiam ter feito. Depois de um tempo a gente passaContinue a ler “ABCD de como destruir uma relação de equipe.”

Quanto vale o seu dia?

Tive conhecimento de algumas empresas que fazem pagamento para as pessoas considerando o dia de trabalho. Trabalhou o dia cheio, ganha X. Já passei por situação onde fiz treinamentos que duravam um dia cheio ou mais dias. Minha lógica sempre era pensando em quanto durava o dia e quantidade de pessoas, para pensar o valor.Continue a ler “Quanto vale o seu dia?”

Tempo de fechamento, ou como manter documentações depois que as agendas acontecem.

Uma das coisas que tenho percebido de forma potente na organização dos meus dias é a necessidade de um “tempo de fechamento”. A vida não é só planejar e fazer. 🙂Aqui no meu dia a dia, percebo isso dentro de agendas e também em alguns casos pós espaços de trabalho. Um tempo que preciso paraContinue a ler “Tempo de fechamento, ou como manter documentações depois que as agendas acontecem.”

A culpa não é da tecnologia, mas de como você faz uso dela.

Como diz Nigel Marsh, um autor que escreveu sobre balanço entre vida e trabalho: … existem milhares e milhares de pessoas por aí levando vidas em um desespero silencioso, onde elas trabalham longas e duras horas em trabalhos que odeiam para permitir que elas comprem coisas que não precisam, para impressionar pessoas que elas nãoContinue a ler “A culpa não é da tecnologia, mas de como você faz uso dela.”

Estamos sempre de partida?

Essa frase faz parte de uma música da banda Nenhum de nós. É uma música que fala sobre cuidado, no caso a falta de cuidado. Quando penso nessa frase penso também no livro Greenlights de Matthew McConaughey, que em certo momento fala sobre destinos e paradas. No fim, por vezes me percebia sempre correndo, sempreContinue a ler “Estamos sempre de partida?”