Se você diz o que precisa ser feito, você pode até estar colaborando, mas não está em colaboração.

Quando você diz para uma pessoa o que ela precisa fazer e como ela precisa fazer, você até pode dizer que está colaborando com o crescimento profissional da pessoa. Afinal, a pessoa consegue modelar o seu jeito de organizar trabalho, sua maneira de priorizar, sua maneira de preparar o que precisa ser feito. Eu aprendiContinue a ler “Se você diz o que precisa ser feito, você pode até estar colaborando, mas não está em colaboração.”

Organizando eventos? Crie limites e objetivos. Evite “expectativas”.

Pessoas criam expectativas, geralmente (ou sempre?). Quem organiza, tem que organizar para gerar limites e objetivos. Por vezes queremos criar expectativas usando gatilhos de escassez e urgência, mas eu estou evitando ao máximo gerar este tipo de sentimento quando ofereço algo. O que vamos alcançar quando terminarmos uma reunião ou evento? O que queremos proporcionar?Continue a ler “Organizando eventos? Crie limites e objetivos. Evite “expectativas”.”

Contratar pessoas prontas? Pessoas são descartáveis?

Estava refletindo sobre a relação de contratação de pessoas e pessoas escolhendo empresas. O que chama atenção? O que faz uma pessoa ficar em uma empresa? O que faz uma pessoa buscar novos projetos? Como você pensa contratação de pessoas? Como você pensa movimentação de pessoas ganhando novas habilidades na sua empresa? Como você pensaContinue a ler “Contratar pessoas prontas? Pessoas são descartáveis?”

Isso não é meu trabalho! Será que você deveria se preocupar em NÃO fazer o que SABE fazer?

Você tem um conjunto de habilidades. E você sabe resolver diversos problemas. Pode ser que em um determinado projeto você tem papel A e papel B. E aí, o que fazer quando acontece um problema X, que você sabe resolver, mas não está no papel A/B. Qual é o seu jeito de operar? Não estáContinue a ler “Isso não é meu trabalho! Será que você deveria se preocupar em NÃO fazer o que SABE fazer?”