Você é o que você faz, não onde você faz ou fez.

E nem tão pouco o ser está conectado com a forma como você se veste.

Tem um livro do Ben Horowitz, que tem o título traduzido como “o que você faz é o que você é”. É interessante que neste livro tem uma passagem bem ligada sobre o vestir, falando sobre o estilo casual de se vestir em uma empresa e como este movimento buscava dar voz para as ideias e não para a forma das pessoas se apresentarem.

Conheço lugares onde o estilo de se vestir conecta com a hierarquia. Conforme a hierarquia, mais formalidades. A conta bancária e os crediários poderiam ser dívidas infinitas, mas nos corredores a pessoa certamente se sairia como rica, fina e bem sucedida.

Isso vale para muita coisa. Eu posso me vestir como uma pessoa profissional de basquete. Seriam necessários poucos minutos para a realidade se apresentar e eu ser “colocado” no meu lugar de entusiasta do basquete. 🙂

O que vale sempre vai ser a prática!

Tenho visto algumas pessoas tão conectadas com determinada carreira e com as empresas que podem trabalhar, que por vezes complica sua trabalhabilidade.

O jogo é bem simples: o que você faz se transforma em um conjunto de habilidades, que ganham e perdem energia ao longo da vida profissional e dos diferentes projetos que participamos.

Vejo muitas pessoas sempre atrelando nome + empresa, quando na verdade o seu mini currículo deveria ser algo sobre seu nome, suas habilidades e alguns princípios ou crenças. No final você pode falar onde está atuando agora para dar contexto ou as entidades que situam onde você está no presente.

E pode ser pior. Quando as pessoas se apresentam usando seu nome e indicam que TRABALHARAM em empresas ditas de destaque. Por vezes nem mostram o que fazem hoje. Usam o seu “ex crachá” para situar algo que fizeram na vida, como se aquela posição profissional fosse um troféu. Confesso que acho estranho. É algo diferente de uma medalha olímpica ou um troféu esportivo, que conta uma história e uma jornada até aquela conquista. Poucas coisas da vida profissional vão ter este tipo de classificação.

Lembre sempre de pertencer, e não se encaixar.

— Daniel Wildt

Acompanhe minha jornada de conteúdo, participando das entregas do projeto de crowdfunding “A filosofia da tranquilidade”, lá no apoia.se/dwildt.

Publicado por dwildt

Empreendedor / Desenvolvedor de Software / Mentor / Agilista / Escritor.

One thought on “Você é o que você faz, não onde você faz ou fez.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: