Adeus metas, olá sistema.

Isso. Parei de ter metas nos meus projetos pessoais. Passei a ter um sistema baseado em fazer e baseado em energia. Explico.

O fazer está inserido em projetos e pequenas ações que faço ao longo dos dias, semanas e mês.

Nada a ver Daniel, já te ouvi falar sobre OKRs e você já disse que tem OKRs. E aí?

E aí que eles servem apenas para funcionar como proteções. Persisto ou mudo alguma abordagem? Vale buscar outro caminho para explorar uma habilidade?

Exemplo, no primeiro trimestre de 2021 eu tive 30% mais horas assistidas de vídeos do que no primeiro trimestre de 2020. Eu uso os números para poder entender como avanço e o que foi relevante (para seguir divulgando).

Estou menos preocupado com a questão de quantidade de vídeos produzidos. Até porque muitos dos vídeos que tenho feito estão escondidos no Youtube por serem feitos pro meu público do projeto de crowdfunding.

Ah mas você deveria ter muitas horas de vídeos assistidos além das que tem hoje. Eu poderia ficar chateado com isso, mas eu estou aproveitando o processo de fazer vídeos, e também ser consciente e presente no que estou produzindo e para quem estou produzindo, que é mais importante para mim. Pro meu sistema.

O lance quando penso em um sistema, é que ele deve me apoiar em desenvolver algumas habilidades e aprendizados que estou buscando:

  • Escrita diária pública, via blog para documentar o que tenho vivido e experimentado.
  • Vídeos, via youtube, para seguir ganhando ritmo de falar sobre questões do meu dia a dia e documentar aprendizados.
  • Áudio, via podcast em inglês e português (e mais um saindo aí) e aprender mais sobre produção de podcasts.
  • Crowdfunding, via projeto em inglês e português para entender mais deste mercado.
  • Livros, para praticar o agrupamento de conhecimento. Isso acontece com os livros e também criando cursos sob demanda e criando uma comunidade de cursos por assinatura (em breve).
  • Esportes, através das minhas caminhadas e meus treinos de arremesso.
  • Explorar assuntos e perguntas sobre o que quero ver acontecer diferente, através dos projetos paralelos. Isso acontece com o treine basquete, com o mais.dev e com o desenlatar.

E outras habilidades e projetos que virão. 😀

E aqui entra o lance da energia. O que me faz dedicar mais ou menos horas ou considerar tempo de exploração, é uma combinação de energia que faço comigo para cada projeto. Tem projeto que eu toco todos os dias, exemplo caminhada e escrita no blog. Tem projeto que eu toco 2-3 vezes na semana, como os arremessos. Tem projeto que eu toco 1x por semana, como o Projeto720. Tem projeto que eu toco 1x por mês, e que tem que me tomar no máximo 2 horas e meia do mês, que é o VivaSeuTempo.

E toda vez que algo começa a travar, eu olho como consigo tornar mais simples. O normal é pessoas adicionarem controles. O caminho é ao contrário. Se um processo melhora, ele deve se tornar mais simples e com menos controles.

Exemplo? Existe uma recompensa no crowdfunding que envolve compartilhar links que foram importantes na semana. Ela está “travada”. E aí eu entendo o que está travando meu sistema, afinal eu tenho links para compartilhar. Primeiro penso em acabar com a recompensa, e noto que gosto de fazer este exercício de organizar o que foi importante na semana de referências. Então, a forma é que precisa ser mais simples. E agora nesta semana vou testar um novo formato (experimento) de organizar os links.

E nas empresas, Daniel? Assim como os projetos o que eu tenho sempre é o pensamento de sustentabilidade e contribuição. No caso das empresas por vezes existem metas de crescimento ou de melhorias a serem realizadas. Por vezes existe um fluxo contínuo de olhar, semanal, ou até um pensar de trimestre presente. Depende do momento e movimento. E aí entram indicadores que podem ajudar como receita mensal, receita mensal recorrente no caso de produtos, clientes novos, perda de clientes e assim vai.

Os controles e princípios são organizados com quem faz parte de cada projeto. O jogo é buscar fluxo, entrega de valor e melhoria contínua. Simplificando para uma palavra: progresso.

Como você mede progresso?

— Daniel Wildt

Extra: nota que eu não trouxe a palavra propósito nenhuma vez? O jogo é mais operar de propósito.

Publicado por dwildt

Empreendedor / Desenvolvedor de Software / Mentor / Agilista / Escritor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: