Modelos de como aprender e ensinar

Estes dias fazendo uma conversa com meu mentor Alex Bretas comentei que tinha algumas estratégias de ensino que já tinha aplicado. Quando questionado para mandar material que tinha relacionado, notei que algumas das estratégias eu nunca tinha documentado no blog.

Estou centralizando neste documento algumas destas estratégias e conforme for documentando outras adicionarei aqui.

Fishbowl é uma das que mais gosto por permitir uma conversa menor. Uma conversa mais interna que permite criar conversas com grandes grupos. Útil quando se está em um evento no formato de platéia de auditório. Até fiz um template de mural para ajudar em eventos deste tipo online.

Circulo. Quando eu conseguir conduzir boas rodas de conversa, entendo que estarei funcionando como um bom facilitador. Já tentei ir pelo caminho de aprender diversas dinâmicas, mas faz alguns anos que tenho me preocupado com oportunidades de usar o mínimo de recursos e que possa maximizar o máximo de conversas e troca entre quem participa. E que possa organizar e ter espaços de prática da escuta.

OpenSpaces. Que as pessoas possam criar espaços com significado e possam encontrar pessoas com interesse de estarem nestes espaços. Os espaços e assuntos são criados com quem estiver presente e com o tempo disponível para este encontro.

Proaction Cafe (português | inglês). Uma das dinâmicas mais potentes que já aprendi a fazer. Uma forma de apoio com muito fluxo e oportunidade de escuta e presença.

LeanCoffee ou LeanBeer. Ter um conjunto de assuntos para conversar, priorizados por algum critério. Legal para poder discutir tópicos diferentes em um espaço de tempo. Os tópicos podem operar junto com fishbowl ou com alguém assumindo uma resposta para cada tópico.

How might we (como poderíamos). Uma boa dinâmica para explorar perguntas a serem feitas sobre um determinado tema.

Palestra (slides, mapas mentais). Uma oportunidade para compartilhar conhecimento. Não deixa de ter poder, e pode ser interessante usar palestra com outros formatos de ensino e aprendizado com trocas. Uma palestra pode abrir espaço para o levantamento de tópicos de um lean coffee.

Pareamento, importante para colaboração, para melhoria contínua do trabalho que ainda precisa ser realizado, e importante para gestão de conhecimento e posse coletiva da equipe. O pareamento pode apoiar para que uma equipe possa manter o ritmo de trabalho e entregas.

Coding Dojo. Quando precisar organizar um processo de aprendizagem pareada junto com uma equipe, você pode operar em modelo de Coding Dojo. Como o nome diz existe uma relação direta com código, mas já apliquei a mesma estrutura para aprendizados de outros assuntos, como análise de negócios. Poderia ser usada para construção de textos, poesias e até para aprender a fazer peças de desenho em um photoshop por exemplo.

Práticas aprendizado tradicional e informais. Como entender e valorizar diferentes estilos de aprendizado, tanto os ditos tradicionais e informais. Nos dias de hoje entendo que cada vez mais estamos tendo a presença de práticas de aprendizagem informal e caminhando cada vez mais para um movimento de aprendizagem auto dirigida.

Comunidades de prática. Desde 1999 participo de comunidades de perguntas e respostas, e desde 2002 também participo da formação de comunidades de prática, apoiando pessoas no seu processo de aprendizado e desenvolvimento de conhecimento. Ao funcionar em uma comunidade de prática, queremos fazer o conhecimento acontecer. Tenho um conceito de 4 palavras importantes para desenvolver comunidades de prática. Uma comunidade pode ter vários formatos, clube de livro, clube de programação e assim vai. No fim do dia uma comunidade de prática é uma tribo, que precisa de pontos de contato e objetivos de conexão.

Mentoria. Eu acabo aprendendo muito em conversas 1:1. Encontro pessoas que já viveram experiências parecidas com as que estou vivendo e tenho a oportunidade de trocar ideias sobre o que estou fazendo e preciso fazer. Acabo gostando muito também de oferecer a mentoria como um serviço. O importante de escolher uma pessoa mentora é garantir que ela possui experiência prática no assunto que você está com interesse. Ensine o que você faz seria o básico para evitar problemas neste tipo de trabalho.

Sempre que eu documentar algum outro formato adicionarei aqui.

— Daniel Wildt

Extra: Sobre Alex Bretas, começa pela TEDxTalk dele e depois acompanha o medium dele.

Publicado por dwildt

Empreendedor / Desenvolvedor de Software / Mentor / Agilista / Escritor.

2 opiniões sobre “Modelos de como aprender e ensinar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: