Fishbowl ou aquário para trabalhar conhecimento emergente

Eu posso deter todo o conhecimento sobre um determinado assunto. Meu próximo passo é sempre me tornar inútil no mesmo. Isso acontece de algumas formas, aulas estilo monólogo, entrevistas, painéis, conversas que possam ajudar pessoas terem um espaço de reflexão e conhecimento de outras histórias.

Agora, eu gosto mesmo é poder usar uma palestra como um momento de ignição para uma troca de ideias, e para isso o fishbowl (aquário) é a minha prática de preferência.

Normalmente trabalho com 4 ou 5 posições para conversa.

Quando eu uso? Por vezes estou em um evento, com 50-100 pessoas e quero permitir que as pessoas participantes possam trocar ideia e trazer suas experiências. Normalmente as perguntas no final das palestras não são suficientes e você já deve ter visto pessoas que pedem a palavra para contar uma história e não para fazer perguntas.

Elas estão erradas? Ou será que o evento poderia ter criado um espaço para expressão de quem está assistindo.

Então eu fico pensando sempre nestes momentos. Muitas vezes monto vídeos e palestras online e espero que a conversa possa seguir depois do final da palestra, em algum grupo relacionado a palestra ou mesmo na conversa 1:1 o que costuma ter bastante poder, considerando que o assunto está conectado com alguma situação da pessoa com a equipe.

Considerando aqui que teremos 4 cadeiras participando, o lance é iniciar com uma pergunta, e permitir que 3 pessoas possam sentar nas cadeiras. Uma cadeira sempre fica vazia. Quem quer falar, senta na cadeira vazia e alguém que está sentado pode voltar pra platéia.

Quem está na platéia pode mandar perguntas? Pode, se vier para o aquário para conversar.

Os tópicos podem ser pré definidos ou podem ser levantados pela própria platéia durante algum momento de construção. Eu gosto de deixar a conversa contextualizada. Exemplo teve um bloco de 2-3 palestras curtas, e o fishbowl serve para discutir aqueles itens ali presentes.

Eu sempre aprendi com os fishbowls, sempre fiz colheita de informações e sempre pensei que algumas opiniões eram suposições ou até continham nelas dúvidas a serem sanadas.

E aí recentemente tive o desafio de fazer um fishbowl online. Então resolvi montar um template para conseguir trazer todos estes pontos juntos. Fiz usando a ferramenta Mural, que tem sido minha parceira nesse mundo online. A minha ordem de funcionamento e execução do fishbowl foi a seguinte:

  1. Trazer as pessoas para o momento presente, explicar a importância do aprendizado coletivo e emergente e possibilidades que podem surgir a partir deste tipo de conversa. Explicar o funcionamento do fishbowl e a conversa focada em quem está no aquário.
  2. Fazer as pessoas montarem um cartão com os seus nomes. Este item é importante no online para eu poder posicionar as pessoas no ambiente de conversa. Se você conseguir fazer isso em outro ambiente tipo um minecraft, as pessoas estarão ali já. Da mesma forma, em um evento presencial, as pessoas já estão ali. Em eventos híbridos isso pode se tornar um complicador. Eu nunca tentei fazer um fishbowl com pessoas presenciais e remotas. Já fiz eventos neste formato e trazer perguntas de quem está online é tranquilo. Um caso poderia ser trazer as perguntas de quem está online para as pessoas presentes conversarem no fishbowl.
  3. Fazer as pessoas montarem cartões com perguntas e temas a serem explorados no fishbowl. As perguntas podem ser montadas durante um momento específico ou você pode fazer as pessoas montarem perguntas durante uma palestra inicial. Então o quadro poderia ser iniciado com as pessoas colocando seus nomes, e depois executa a palestra e depois segue para o momento de troca.
  4. Posicionar as pessoas na platéia, e depois ver quem tem interesse em começar.
  5. A partir disso, junto com a pessoa que vai puxar a pergunta ou tema, conseguir mais 2 pessoas para conversar junto.
  6. A partir disso disparo um timer de 5-7 minutos para deixar o assunto desenvolver. Combino com as pessoas um número máximo de ciclos para encerrar o assunto e ir para um próximo. Normalmente dois ciclos ajudam a trocar uma boa ideia e você já sabe que quem sentou para conversar tem interesse em seguir trocando ideia.
  7. Este número de ciclos totais depende do tempo de evento. Eu particularmente deixo estes eventos durarem entre 30 e 90 minutos no máximo. Ainda mais online. Os de 30 minutos ou 40mins ocorrem normalmente depois de uma conversa ou pequena palestra, e servem para fazer as pessoas começarem a conversar. A conversa segue depois do evento nos diferentes canais de comunicação que as pessoas possuírem para conversar.

O uso de uma estrutura de certezas, suposições e dúvidas é o que eu resolvi trazer para este momento online. Conforme as pessoas forem conversando, quem está na platéia pode ir ajudando a fazer uma colheita do que está sendo trazido. Seja o que foi sendo colocado como uma certeza, o que aparece como uma suposição (eu acho / me parece / eu penso) e o que vem diretamente como uma dúvida (eu não sei / quem sabe quanto) que pode apoiar até mesmo na condução das próximas perguntas e também na sequência das perguntas.

Esse template com fishbowl + csd está disponível no Mural para você copiar, e mudar como bem entender. 😀

E complemento com um vídeo sobre o assunto:

Se precisar de ajuda para usar e aplicar, faça contato!

— Daniel Wildt

Publicado por dwildt

Empreendedor / Desenvolvedor de Software / Mentor / Agilista / Escritor.

One thought on “Fishbowl ou aquário para trabalhar conhecimento emergente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: