Importância das metáforas

O que mais me leva a buscar a escrita de poesia é o pensar em metáforas e a certeza que ninguém vai ler um poema como eu leio. Tenho aprendido assim, na escrita em geral… é como você recebe, não como eu escrevo.

Isso é bom demais, porque acho que em tudo que faço encontro isso.

No desenvolvimento de software nada acontece se não me conecto com os termos e palavras daquele problema. E logo cedo da minha carreira e vida começo a encontrar valor e presença na poesia. Uma porque era “fácil” de ler.

Antes de seguir, aqui interessante notar a presença da preguiça em vários processos de aprendizado que tenho. No início dos anos 2000, eu tinha aceitado a minha dificuldade de ler. Falta de hábito, vou chamar assim. E aprendi a ganhar ritmo lendo poemas, crônicas e contos. Eles terminavam mais rápido. 😀

O efeito colateral disso é que eu passo a ter contato com metáforas. Depois em 2003 quando conheço sobre eXtreme Programming eu me conecto diretamente com a disciplina de metáforas porque ela faz muito sentido no meu dia a dia. Eu já tive que trabalhar e desenvolver sistemas de áreas de negócio que não relação alguma com a minha experiência de vida. Precisei exercitar minha capacidade de abstração para poder entender mais do que estava acontecendo e as metáforas sempre foram de grande valia neste processo.

O mesmo acontece quando começo a entrar no mundo de produto e das jornadas, e através das perguntas começo a entender mais sobre a vida das pessoas e dos sistemas que estavam envolvidos no dia a dia delas.

As metáforas são contextuais, dizem respeito a um determinado problema ou pedaço de mundo, contexto.

Rápido, lento, pequeno, simples, difícil, tudo pode fazer sentido e ser totalmente diferente se trocarmos o contexto.

Quando eu começo a aprender sobre algum assunto, quero falar palavras que dizem sentido naquele contexto, mas que podem falar com um público mais abrangente.

Exemplo posso falar sobre sprints quando estou trocando ideia sobre scrum ou timebox, mas na prática também posso falar sobre ciclos de trabalho e a importância de termos cadência para reabastecer o trabalho a ser feito. Com isso tenho um termo mais aberto e ainda assim me permite falar em metáforas sobre trabalho e tempo de foco em trabalho, sem me fazer parecer participante de um clube secreto.

Meu processo para aprender sobre metáforas é escutar pessoas que estão vivendo o problema. E para toda palavra estranha que eu reconheço, pergunto o que significa naquele contexto. Siglas podem servir como metáforas também e é importante que você entenda o que significa.

Dica: procure, ao definir uma sigla, se aquele mesmo conjunto de letras já foi usado em algum outro cenário.

Esta é a definição de metáfora que tenho e como eu trato este assunto no meu dia a dia. Tem a definição do dicionário também:

metáfora
Designação de um objeto ou qualidade mediante uma palavra que designa outro objeto ou qualidade que tem com o primeiro uma relação de semelhança. Transposição do sentido próprio ao figurado. Exemplo: “ele tem uma vontade de ferro”, para designar uma vontade forte, como o ferro)

Para cada contexto que você possui, quais são as metáforas mais importantes? Fica para reflexão.

— Daniel Wildt

Publicado por dwildt

Empreendedor / Desenvolvedor de Software / Mentor / Agilista / Escritor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: